10/11/2008

poema de merda

O meu coração esta' negro
E cansado de chorar,
E luz no meu olhar
Poucos conseguem encontrar.
Queria escrever um poema
Mas nem para isso tenho tema.

Tema até existe
Mas a cabeça insiste
Em me desanimar
Até não mais aguentar.
Ja' não tenho a capacidade
De fazer prevalecer
Pelo menos a amizade.
E agora...
Já nem consigo brincar
Para com as palavras formar
Enormes poemas de "encantar".

São 23:50 e os pensamentos a deambular
Deixam-me confusa e com vontade de vaguear.
Sair para a rua
E caminhar por este Porto
Sem com quaisquer riscos me preocupar.
De que me serve ter medo
E pedir que coisas não aconteçam
Se acabam por acontecer
Da maneira menos esperada?!
E de que serve apenas querer
Que a verdade me seja contada
Se acabam por ma esconder?!

As palavras não querem sair
E eu não consigo exprimir
Tudo o que estou a sentir...
Este poema esta' uma merda
E a minha vida nela caiu
Estou a tentar levantar-me
Mas parte do meu mundo ruiu.
Resta-me a cabeça erguer,
Olhar em frente
E esperar por entender
Para que quem sabe um dia
Consiga perdoar
E esquecer tudo
O que estou passar.

1 comentário:

Sarah disse...

Nao e' um poema de merda, esta' at'e bem fixe !
Decerto q vaiz ultrapassar tudo isto e voltar a sorrir :D
Todos qeremoz a Flávia de volta !

Adoro'te !